terça-feira, 24 de abril de 2012

Resenha: Kari-gurashi no Arietti

Olá a todos!
Já faz um tempo que não posto um texto de verdade aqui no blog, e mais tempo ainda uma resenha. Estava atoa na vida esse final de semana quando resolvi ir atrás de um filme que quase havia esquecido. Estou falando de Kari-gurashi no Arietti (O Mundo Secreto de Arriety), ou apenas Arriety, lançado em 2010 pelo famigerado Estúdio Ghibli (o mesmo de A Viagem de Chihiro, O Castelo Animado e Ponyo) e inspirado na obra de 1952 The Borrowers (algo como “tomadores de empréstimo; mutuários”), de Mary Norton. E não é que foi uma ótima escolha para um fim de semana chato.

Para quem não conhece (se mate!), o Estúdio Ghibli é o estúdio japonês mais famoso no mundo, isso dado os seus ótimos filmes que conquistaram inclusive o Ocidente. Hoje o tratamos como a Pixar japonesa, para se ter uma ideia. Repetindo a fórmula de sucesso dos seus antecessores, Arriety trás uma história linda e cativante, com personagens muito bem construídas e exploradas, além de uma animação primorosa. Resumindo a história, ela conta sobre como Sho, um garoto de 12 anos, conheceu a pequenina Arriety, uma emprestadora de 14 anos, e como esse encontro mudou a forma de ambos vê a vida. Falar mais que isso poderia estragar toda a experiência, pois o enredo flui de modo sutil e cada cena tem sua emoção própria.

Os emprestadores são humanoides pequeninos que vivem as custas do mundo humano, pegando emprestado coisas dos gigantes (eles não roubam! :D). Como não poderia deixar de ser, Arriety tem uma curiosidade e impulsividade que a leva a fazer coisas proibidas para o mundo pequenino, e assim acaba conhecendo e se tornando amiga de Sho. É muito gostoso vê como funciona o dia a dia dos pequeninos, coisa que é mostrada a fundo pelo filme. Entre dificuldades naturais dado o tamanho deles, até os perigos dos animais predadores, o filme mostra de tudo de forma simples e magnífica. E sabe o que ele me lembrou? Mouse Guard!



Nota: 5 de 5

Tudo no filme funciona de forma harmoniosa e mágica, da sua animação, ao enredo e trilha sonora. Enfim, se eu pudesse resumi-lo em uma palavra, diria que ele é fantástico! Só assistindo para realmente saber do que estou falando.

Até and Bye...