sexta-feira, 25 de abril de 2014

Anime: Magi Labyrinth of Magic

Olá pessoas!
Você está sozinho, de bobeira, sem RPGs para ocupar o seu tempo e querendo ver algo diferente de seriados. É claro que você, nerd, vai investir em filmes. Entretanto, meu lado otaku falou mais alto e achei que seria interessante ver uma temporada de um Anime legal e descompromissado. Foi quando um amigo me indicou Magi Labyrinth of Magic, e não me arrependi de apostar meu tempo nele.

Originalmente um mangá e criado por Shinobu Outaka, a história Magi se passa em um mundo alternativo baseado no Velho Mundo, com vários personagens, nações e contos que se assemelham com seus homólogos na vida real. Assim conhecemos Aladdin. Ele é um garoto que viveu isolado do mundo e todos, sem família e amigos, até conhecer um Gênio chamado Ugo, que se tornou seu amigo. Juntos eles partem numa jornada cômica e esotérica para entender quem de fato Aladdin é, um Magi, fazendo amigos como Ali Babá, o “destinado a reinar” ou o “candidato a rei”, e a escrava fanalis Morgiana, enfrentando os desafios de seu mundo místico. A história em si não é nada excepcional, mas diverte bastante, desde a tara apaixonada de Aladdin por peitos até o azar inacreditável de Ali Babá com mulheres. De fato, a história se segura em muito devido os personagens serem bastante carismáticos e enfrentarem dramas interessantes. Uma menção honrosa a Sinbad, o rei dos sete mares e conquistador de sete Dungeons.

A história do Anime pode não empolgar tanto, mas o cenário é digno de um bom RPG. Nele todos os seres vivos possuem uma essência conhecida como Rukh que, quando eles morrem, retorna para o “Grande Fluxo de Rukh” que dá vida a todos os seres, em um ciclo eterno de renascimento denominado “Destino”. Uma vez que uma pessoa é dominada pela tristeza, raiva ou desespero, seu Rukh é corrompido, ficando negro e se desviando do fluxo principal em um processo chamado de “Cair em Depravação”. O Magi é o “escolhido dos Rukh” ou o “amado pelos Rukh”, atuando como um guia espiritual e sábio, sendo aquele que escolhe quem tem o direito de reinar.

Já o nome “Labyrinth of Magic” vem do fato de existirem vários castelos mágicos, abarrotados de tesouros, armadilhas e desafios conhecidos como “Dungeons” (quem lembrou de D&D agora?), e cada um deles é um lugar que guarda um ser mágico misterioso e poderoso chamado de Djinn ou Gênio. Aqueles que conseguem encarar os desafios de uma Dungeon, conquistar a lealdade de um Djinn e retornar vivo são conhecidos como “Captores de Dungeons”, ganhando a habilidade de usar seus poderes mágicos a qualquer momento. Um Captor de Dungeon carrega seu Djinn em recepiente especial geralmente feito de metal. Tais poderes se manifestam na forma de elementos e, quando bem treinados, é possível “vestir” a forma original do artefato de metal que sela o Gênio como uma armadura, num processo que lembra muito Shaman King e Cavaleiros do Zodíaco.


Magia, fantasia, bom humor, drama bem dosado, personagens cativantes e um cenário muito interessante são os elementos que atraem em Magi. A história pode pecar aqui e acolá, mas nada que atrapalhe a sua diversão. Além disso, a animação é incrível e as cenas de ação não decepcionam. Se você está procurando um shonen bacana para assistir, pode investir seu tempo em Magi sem medo.

Até and Bye...

Nenhum comentário:

Postar um comentário