quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sobre Orcs e Humanos (e Raças)

Olá pessoas!
Hoje saiu uma notícia no Omelete sobre um novo game que estão querendo lançar lá pra segunda metade de 2012 (ainda em produção). Segue boa parte da notícia abaixo, onde o restante você poderá conferir clicando neste link.
A Focus Home Interactive anunciou seu novo RPG. Programado para o terceiro trimestre de 2012, Of Orcs and Men (referência óbvia ao título de Of Mice and Men, de John Steinbeck), em produção pelo Cyanide Studio, coloca os jogadores no papel de um soldado de elite orc, em missão para livrar as raças dos orcs e goblins da maligna perseguição dos humanos. Ao guerreiro veterano se juntará um aliado goblin e juntos eles deverão infiltrar-se no Império dos Humanos para matar o responsável pela chacina de seus povos, o Imperador. O Orc terá força bruta e o Goblin se beneficiará de poderes mágicos e habilidades furtivas, que o tornam o assassino perfeito.

Já tem tempo que não jogo algum game, mas sei que a proposta interessante do jogo citado não é exatamente inédita. De fato, tratar a humanidade como o “problema” ou o “inimigo” é algo que acontece uma vez ou outra nos games. Mas e nos RPG? Ora, os humanos são assim tão bonzinhos? A nossa realidade está cheia de casos para provar o contrário. Por que não narrar um RPG onde os humanos são os opressores da raça escravizada dos PdJ? Eu penso que é tão natural na nossa cabeça termos a raça humana como aquela que deve prevalecer que isso acaba nos cegando para o que ela pode ser no seu cenário e todas as possibilidades de jogo. Pense nisso.

Agora aproveito pra levantar rapidamente outra questão associada interessante. Quando jogamos a nossa “fantasia medieval de cada dia” já se tornou natural querermos jogar com raças diferentes. Muitas vezes fazemos isso em busca de combos, em outras por estilo e gosto, e, por fim, apenas para seguir um estereótipo bem consolidado (o elfo arqueiro, o halfling ladino, o orc bárbaro...). Mas quantos jogadores (e narradores) de fato lembram que jogar com uma raça diferente é lidar com uma cultura diferente (e às vezes totalmente) da raça humana?

Lembro-me que num RPG que narrei ainda esse ano os PdJ tiveram que interagir com os elfos de um pequeno reino na floresta. Afora as características físicas normais da raça e o fato da cidade-reinado deles estar no meio de uma floresta e escondida atrás de uma cachoeira (quase clichê isso), o povo élfico em si era totalmente diferente dos estereótipos com o qual estamos acostumados a usar/lidar (como se fossem humanos de orelhas pontudas que vivem em florestas e amam a natureza). Leis e questões de honra, comportamento, organização social... tudo isso foi modificado para, de fato, representar uma etnia diferente da humana. O impacto social foi tal que um dos PdJ saiu da cidade, após a missão, não querendo ver mais um elfo nem tão cedo. E isso foi ruim? Não! Isso gerou situações ótimas e fez com que os jogadores ficassem com medo do que dizer ou fazer, temendo ofender mortalmente um elfo aliado.

Desta forma, fiquem com esses dois pensamentos hoje. Humanos não precisam sempre ser os heróis ou os coitadinhos que devem vencer o mal. Torne-os os monstros, seja entre si com suas intrigas sociais e políticas, ou com outras raças. Faça-os oprimir, e não ser oprimidos. E lembre-se: raças possuem culturas diferentes. Não torne suas raças humanos-diferentes, mas sim povos completamente diferentes. Pense e discutam sobre isso.

Até and Bye...
PS: fiquei com vontade de narrar Eragon agora... XD

2 comentários:

  1. Olá,

    Tio, um dia eu te apresento o jogo do AD&D que colocava como PJ's um grupo de monstros que tinham que impedir a invasão do seu lar cometida por aventureiros humanos. XDDDD Era muito divertida a idéia e sei que nas outras versões do D&D teve gente adaptando-a. ;)

    Aquilo não era elfo, era mulçumano fundamentalista. XDDDD

    Bonanças.

    Atenciosamente,
    Leishmaniose

    ResponderExcluir
  2. @Leishmaniose
    Elfo mulçumano fundamentalista é osso! Ha-ha... XD
    Mas de fato não dá para nós, ocidentais, entendermos totalmente a cultura desses povos asiáticos e africanos. XD

    ResponderExcluir