sábado, 4 de junho de 2011

Mutantes e RPG

Olá a todos!
Depois de resenhar sobre o ótimo X-Men First Class, acho que vem a calhar falar um pouco sobre mutantes e RPG. Sinceramente eu nunca narrei aventuras com personagens SUPERS. É claro, já teve aquelas aventuras de níveis altos do D&D 3.X e que, em sua maioria, foram uma dor de cabeça gigante, mas nunca uma campanha de SUPERS realmente. Mas, após um filme como esse, é impossível não pensar e nem ficar interessado em narrar algo do gênero. Então, qual seria o melhor sistema?

Limitei a pergunta anterior apenas ao sistema porque, a meu ver, só me vejo narrando X-Men (com uma visão pessoal do cenário, evidente). O cenário dos mutantes me interessa principalmente pelas suas questões sociais, como intrigas governamentais, a questão da mutação ser uma evolução da raça humana e que isso pode significar a elevação de uma nova raça soberana, o próprio preconceito, e assim vai. Sei que estas idéias podem ser exportadas para diversos outros universos com super-heróis, mas elas ficam perfeitamente bem encaixadas onde já estão. A própria obra já muitas idéias, o que facilita bastante na hora de construir as aventuras. Além disso, os mutantes têm algo que eu gosto bastante: poderes especializados. Isso quer dizer que eles possuem um único poder, mas sabendo explorá-lo a fundo. A meu ver este tipo de SUPER é melhor de lidar do que personagens como, por exemplo, o Super-Homem (que voa, é mega forte e resistente, possui um sopro aloprado, solta raios pelos olhos e tem visão de raio-x, ou seja, vários poderes).

Mas qual seria o melhor sistema para um jogo com mutantes? Do passado, lembro-me do famigerado GURPS SUPERS, que foi muito usado principalmente na década de 90 e início dos anos 2000. Eu nunca testei as regras do SUPERS, mas já joguei e narrei muito GURPS na minha vida pra saber que é algo que vale a pena dá uma conferida (e com o GURPS 4ªEd sendo lançado no país, vale ainda mais a pena). Além disso, na época do primeiro filme, lembro que a falecida Dragão Brasil lançou uma matéria adaptando justamente os X-Men para GURPS e 3D&T. Aqui já cito outro sistema: o 3D&T Alpha. Mesmo com suas revisões, tornando-o mais genérico, o Alpha ainda é um sistema com seus bugs e bem mais voltado para o estilo Anime que o de SUPERS, mas ainda assim dá pra ser usado. O mesmo que tende aos Animes e que aconselho é o BESM d20, lançado pela Devir tem um tempinho já. Com suas adaptações, sei que dá pra criar muita coisa aloprada com ele. Por fim, e acho que o mais importante de todos, tem o Mutantes e Malfeitores, o M&M da Jambô. O nome já diz tudo, né? Feito exclusivamente para jogos com SUPERS, e usando a OGL, acho que é o melhor sistema no mercado nacional para jogos do estilo, mesmo eu ainda não o tendo testado de fato e já ter ouvido falar de alguns pequenos bugs (regras opcionais lançadas na net dão pra corrigir estes problemas).

Enfim, é isso. Espero ter ajudado em alguma coisa e que vocês me ajudem também. Que outros sistemas eu posso usar? Que outros elementos do cenário dos X-Men valem a pena lembrar e usar no seu RPG? Sou todos ouvidos.

Até and Bye...

2 comentários:

  1. Na verdade o Mutantes e Malfeitores não é feito exclusivamente para jogos de super-heróis. Ele é um sistema que se baseia em pontos e compra de efeitos, em vez de poderes, o que facilita que ele seja usado em todo tipo de cenário. Por isso até, ele já recebeu suplementos para vários tipos diferentes de ambientações, incluindo fantasia medieval.
    Não sei exatamente de quais 'bugs' vc possa estar falando. Mecanicamente e considerando a proposta, ele funciona muito bem.

    ResponderExcluir
  2. @Kimble
    De fato, sistemas baseados em distribuição de pontos para comprar as características são ótimos para jogos gerais, mas é fato que o M&M presa por vantagens e poderes específicos para SUPERS (não todos, mas a maioria). Além disso, ouvi falar que o sistema de resistência, mesmo tendo uma idéia maravilhosa, pode se tornar um problema em níveis mais altos ou com a liberação de certos poderes (num lado fica os personagens que morrem com um peido, e no outro pessoas que nunca se machucam).

    É claro que tudo fica na mão do mestre, e eu mesmo não conheço o sistema para afirmar se isso é 100% certo, mas já participei de mesas com ele e o achei interessante sim. ;)

    ResponderExcluir