quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Minha Experiência com AD&D

Olá pessoas!
Caramba, faz um bocado de tempo que não posto nada aqui no blog. Pois é, faz um bocado de tempo que não jogo RPG também! Isso é o que você ganha por se aposentar das narrativas, pelo menos por enquanto (vai que um dia minha vontade retorna). Mas hoje vim falar um pouco das minhas últimas experiências RPGísticas como jogador adquiridas por meio do antigo e tão amado/odiado AD&D.

Meu grupo de jogo atualmente está numa fase AD&D que já deve está durando um ano e meio. Tudo começou com Ravenloft e, após um tempo de jogo que julguei oportuno, resolvi dá um tempo no sistema. Sinceramente eu acho o AD&D bacana, mas por ter uma mecânica muitas vezes confusa (pra mim), definitivamente não me conquistou por completo (essa coisa de rolar valor abaixo, rolar valor acima, TACO, percentagens, estatísticas mega-minunciosas tabeladas, classes com experiências diferenciadas... tudo isso sempre me confunde).

Entretanto, devo admitir que o AD&D tem seu charme, principalmente quando falamos de termos descritivos, e seus livros (os poucos que li), trazem uma pá de informações não mecânicas de encher os olhos, mas sem deixar de lado a sua matemática que sempre me chama mais a atenção em sistemas (coisa de engenheiro). Ler o Domínios do Medo, de Ravenloft, foi muito interessante e único, inclusive detalhes que geralmente não curto em cenários prontos não me incomodou, como NPCs importantes apresentados (prefiro ter a liberdade de criá-los eu mesmo). A experiência de jogar AD&D também foi única, ainda mais levando em conta que nunca havia jogado o sistema antes. Tirando a parte que sempre me confundia do “como jogar o que” (e que me incomoda), o AD&D não me apresentou dificuldades mais ou entraves, sendo bem pé no chão e coerente com a sua proposta.

E como eu poderia fechar esta postagem resenhando AD&D? Bem, dá uma nota para este sistema old school seria estranho, pois o joguei séculos depois de já está “ultrapassado”, e difícil, pois por um lado o meu ódio por D&D me diz algo, mas minha satisfação em jogá-lo até certo ponto diz outro. Assim, abstenho-me de dá uma nota para o sistema, mas afirmo a necessidade de todos um dia ainda jogá-lo e sentir na pele este que até hoje ainda inspirar sistemas e, porque não, cenários novos!

Até and Bye...