terça-feira, 14 de maio de 2013

Tsuchi Monogatari: Livro 1 – Vingança #01

Olá pessoas!
Alguns meses atrás comecei um RPG em 3D&T Alpha, testando inclusive algumas das regras que postei aqui no blog. Desta forma, abro de forma MUITO atrasada as atividades do Diário das Sessões aqui no blog. Tsuchi Monogatari (“Contos da Terra”) é um RPG de alta fantasia, ambientado no mundo fictício oriental de Aria. Tomei como base para construir este mundo (ainda em larga expansão) obras como Dragon Ball, Dragon Quest, Avatar The Last Airbending, RG Veda e Exalted. Entretanto, outros animes podem acabar entrando em cena, como Yu Yu Hakusho (o reino Mazoku do Meikai) e Basilisk/Naruto (clãs shinobis – culpa de Leish). Mas vamos aos fatos agora.

CONSTRUINDO PERSONAGENS
A sessão começou com a construção das personagens e a apresentação do cenário. Devido o tema, optei pelo 3D&T Alpha para esta campanha, mas com leves mudanças para torná-lo mais funcional e ao meu gosto. Com relação às personagens, elas foram construídas com 7 pontos cada, e até -3 de Desvantagens. A preferência geral do pessoal foi por Códigos de Honra, gerando personagens bem heroicas o que achei ótimo. Segue abaixo uma descrição sucinta delas (fala a de TL, que não pode vir para a sessão):
  • Lee Sin (Joka): no passado, Lee fora um usuário de magia exemplar. Entretanto, após acontecimentos terríveis e marcantes, ele decidiu abandonar por completo o caminho da magia e cegou a si mesmo. Ao chegar ao Templo de Iônia, ele treinou nas artes marciais com os monges locais e jurou livrar o mundo daqueles que usarem da magia para o mal. Kit: Combatente;
  • Sir Coxinha (Inácio): originário do Meikai, o mazoku ogro Coxinha nunca compartilhou da brutalidade de seus irmãos de sangue. Dotado de uma inteligência ímpar e o dom para conversar com os espíritos, ele desejava um caminho de paz e justiça. Quando um dia uma força expedicionária humana foi destruída pela sua tribo, ele viu a oportunidade de fazer o bem e salvou aquele que se tornaria seu melhor amigo, Dai Ven. Membro da Ordem do Sol Ascendente, Dai levou Coxinha até a sua senhora, Lin Yona, na grande capital do Império da Terra, Yun Ling Sen. Lá, Coxinha abraçou o caminho do bem e se tornou um paladino do sol. Kit: Paladino de Azgher;
  • Kurosaki Shin (Leish): quando criança, Shin era um membro do clã shinobi Kurosaki, especialista na arte de manipular as sombras. Entretanto, num dia fatídico, seu clã foi dizimado pelo terrível clã Ishida, seus antigos rivais. Desamparado e sozinho, ele conseguiu fugir escondido num navio e desembarcou na vila de Luang, onde foi achado e adotado pela bondosa D. Aoi. Lá, ele cresceu e fez amigos, mas treinando secretamente sua arte sombria para que, um dia, pudesse reaver os tesouros do seu clã e entender o que aconteceu para que os clãs se odiassem de tal forma. Kit: Guerreiro Sombrio.

Aqui, cada jogador deu seu acréscimo ao cenário: o Templo de Iônia, a Ordem do Sol Ascendente e clãs shinobis; isso pra não falar na surpresa que foi ter um ogro educado e inteligente na mesa. Falta agora apenas a personagem de TL para fechar a mesa (vagas totalmente preenchidas).

LIVRO 1 – VINGAÇA – ABERTURA
Após lanches e criações de fichas, começamos nossa sessão de abertura. Após terminar seu treinamento no Templo de Iônia, Lee Sin desceu as montanhas e chegou à vila de Luang, sua primeira estadia em sua nova jornada. Ao mesmo tempo, os parceiros Sir Coxinha e Dai Ven também alcançam a vila, sendo sua última parada antes de chegarem a seu objetivo: Chiang. Enviados pela Ordem ao extremo sul do Império da Terra, os paladinos tinham como missão avaliar o poder de Lorde Ming, o déspota que controla a cidade de Chiang, e fazer algo para libertar seu povo. Entretanto, a hospitalidade do povo de Luang acabou prendendo-os a cidade por um tempo, o suficiente para que eles conhecessem o jovem D. Shin, o mais forte protetor da vila. Numa oportunidade, juntos escorraçaram um bando de piratas mercenários que tentaram roubar a vila e assim se tornaram amigos.

Esqueleto Samurai Rei
Quando eles estavam para partir, uma vez que Sir Coxinha convocou os novos aliados para ajudá-lo em sua missão, a vila foi atacada por uma horda de esqueletos e zumbis, apavorando os moradores e fazendo os heróis agirem para defendê-los. Shin mandou que todos fossem para a rocha sagrada enquanto que ele, Lee Sin e Coxinha derrotavam os terríveis inimigos. Quando pensaram que tudo havia acabado, eles ainda foram surpreendidos por um esqueleto samurai rei, mas que não foi páreo para a força dos três juntos.

Eles então viram uma luz esverdeada subir ao céu vindo da direção da rocha sagrada, deixando-os apreensivos. Ao chegarem lá, eles entraram numa zona de gravidade que prendia todos os aldeões, mas Lee Sin conseguiu resistir aos seus efeitos. Onde antes havia a rocha sagrada, eles viram um orbe laranja flutuando e uma voz esganiçada e sinistra ecoou na noite. Percebendo que aquele era o responsável por tudo o que estava acontecendo, mesmo que estando invisível para os demais, Lee partiu para o ataque. Surpreendido, a figura invisível conseguiu reagir e atacou com uma poderosa bola de fogo. Lee escapou, inspirando Coxinha e Shin a se libertar da paralisia. Vendo-se em desvantagem, o mago invisível começou a voar tomando a orbe laranja para si, mas não sem antes ser atingido por um ataque de Shin e Coxinha. Ferido e irado, o terrível mago Zabodi jurou vingança contra o grupo de heróis.

A batalha terminara e as trevas sumiram, mas o povo de Luang que estava ali não estava bem. Amaldiçoados, seus corpos se tornaram enegrecidos e gradativamente sumiram, deixando apenas seus pertences. Dai Ven também sofreu do mesmo mal, morrendo nos braços do amigo ogro. Numa cena triste, D. Aoi morreu diante de seu amado filho. Para piorar, Coxinha percebeu com sua visão espiritual que as almas de todos os aldeões permaneceram presas ao local, condenadas a permanecer em seu leito de morte eternamente. Jurando vingança e vendo que Zabodi se deslocara para o sul, o trio seguiu bravamente ao seu destino: Chiang.

Nenhum comentário:

Postar um comentário