sábado, 21 de setembro de 2013

Tsuchi Monogatari: o grande herói Aavan

Acerca de 600 anos existiu um herói conhecido como o maior de todos os heróis. Seu nome era Dai Aavan, ou apenas Aavan como ficou conhecido. Ele era um camponês do extinto reino de Yuda, hoje compreendendo o território entre Luang e Johen, tendo servido ao exército de seu lorde e ganhando rápido prestígio e ascensão militar dado a sua bravura, honra e carisma. Ele também era inteligente e um ótimo estrategista, tendo ajudado seu reino a expulsar as tribos de hengeyokais selvagens do sul, marcando-o como um grande herói. Entretanto, sua maior conquista não foi servindo ao reino de Yuda, mas sim por ter sido um dos maiores responsáveis por unir todos os sete reinos que hoje formam o Império da Terra. Na época, a união foi necessária para combater de frente o maior mal que o mundo de Aria jamais tinha visto: os Reis Infernais.

Os Reis Infernais foram os responsáveis, com o seu despertar, por abrir os portões do submundo, liberando em Aria os mazoku. Controlados pelo único rei mazoku, Hadlar, as sete bestas da destruição ajudaram a perpetuar o caos, a morte e a destruição pelo mundo. O exército de Hadlar marchou pelo continente, destruindo vilas e reinos, matando sem misericórdia e escravizando. O ato mais notável deste avanço foi a completa destruição do antigo reino feérico de Ir-Vania, sendo hoje conhecido como Meikai, o lar dos mazoku, e a extinção da raça das fadas. Poucos se lembram dos feéricos ou conhecem esta verdade, tornando a sua existência uma lenda.

Vendo que o mal dos mazoku destruiria o mundo, Aavan usou de toda a sua influência como grande herói para unir os sete reinos do continente sob sua bandeira. Juntos, eles tiveram a força para impedir o avanço mazoku, mas não para destruí-los. Assim, a raça demoníaca foi confinada as terras que já haviam conquistado e vem sendo contida até hoje. Entretanto, o mal dos Reis Infernais era impossível de ser contido. Com um poder de destruição incrível, as bestas sozinhas poderiam acabar com o mundo. Então, Aavan e seus aliados partiram para batalhar contra as bestas, que se uniram a Hadlar para formar o verdadeiro rei do plano inferior: Vearn. Numa batalha impossível, os aliados de Aavan morreram, restando apenas o herói. Percebendo que o poder de Vearn era incomensurável, Aavan recorreu ao poder supremo: o sacrifício. Utilizando toda a sua energia vital, o herói explodiu em luz, matando a abominação e a si mesmo. O palco desta batalha terrível existe até hoje, sendo conhecido como o Deserto de Hadlar.

A batalha contra as sete bestas, Hadlar e o rei do plano inferior Vearn chegou ao fim, mas ao custo da vida do grande herói Aavan. Muitos choraram por aquele que se sacrificou, e até hoje ele é considerado o maior de todos os heróis. Entretanto, seu sacrifício e a destruição de Vearn foram suficientes para manter os mazoku em Meikai, mesmo que ainda vigiados constantemente. Dizem que o primeiro Yun Ten, o imperador da Terra, foi escolhido pessoalmente por Aavan, tendo sido um dos seus melhores amigos. Entretanto, tal informação não é oficial, sendo mais uma crença espalhada pelo povo, garantindo o direito divino de família imperial para governar.