sábado, 25 de maio de 2019

Império de Jade: Entre Deuses e Mortais - Diário 01

Olá pessoas!
Eu postei no início do ano aqui no blog a resenha que fiz do Império de Jade, um dos melhores materiais que já li sobre Tormenta. Caso não conheçam (o que acho muito improvável), Tormenta é o RPG nacional mais famoso e jogado no país, possuindo uma legião de fãs e que está completando 20 anos este ano (a Editora Jambô, inclusive, lançou um financiamento coletivo para comemorar tal data). Conforme expliquei na resenha, eu gostei muito do cenário, mas detesto as regras do TRPG (e de qualquer sistema que use o D&D 3.X como base. Já comentei sobre isso várias vezes aqui no blog). Aí eu tive uma ideia: por que não narrar o ótimo cenário do Império de Jade com outro sistema? E eis que surgiu a campanha que narrei para o meu grupo ao longo dos últimos meses, mas usando o Tio20 RPG como sistema. Desta forma, a postagem de hoje abordará os relatos do que houve na campanha, mais especificamente no seu primeiro arco.

Índice da Aventura: Diário 01.

As Personagens
D.Yato
O texto a seguir apresenta as personagens do jogo. O nome em negrito refere-se ao da personagem e o entre parênteses ao do jogador. As palavras em itálico após os nomes são a raça e a classe dela (lembrando que no Tio20 não existem classes e raças, servindo mais para contextualização dentro do cenário), enquanto as no final citam seus defeitos, dando uma ideia de como são vistas pelas demais pessoas:
  • D. Yato (Leish): henge bushi; um antigo deus menor tamuraniano que enfrentou a Tormenta na batalha para libertar Tamu-ra e pereceu. Alguns anos após a batalha, apesar de pertencer à corte do Cachorro, ele solicitou ao deus dragão para retornar a Arton a fim de ajudar com a reconstrução de Tamu-ra, mesmo que fosse num corpo mortal. Lin-Wu concedeu esta graça, fazendo-o surgir sem seus poderes divinos na ilha. Defeitos: fama maior (divindade) e marcado menor (espada divina – Sekki).
  • Kaze Kurosaki (Aldo): humano wu-jen; um dos shinigami que cuida do Sekishiki, uma das entradas entre o plano mortal de Arton e o plano celestial do Sora. Preocupado com a distorção no fluxo das almas que deveriam ter retornado após a destruição da Tormenta em Tamu-ra, Kuro solicitou a Lin-Wu para entrar no plano mortal e investigar o que está acontecendo com os espíritos que ainda não retornaram, ajudando-os se necessário. Defeitos: ismo menor (deus da morte), marcado menor (olhos da morte), fama menor (deus da morte).
  • Takkar Kazekatta (Joka): nezumi samurai; antes de Tamu-ra ser destruída pela Tormenta, a família Kazekatta já era conhecida na corte do Imperador Tekametsu pela sua honra e dedicação ao Império fora do comum. Mas foi somente após a queda da ilha que a família se tornou o único clã nezumi entre os nobres imperiais. Takkar atualmente é o líder do seu clã, tendo como objetivo conseguir um feudo para a sua família ao ser reconhecido pela sua honra. Defeitos: ismo menor (um nezumi nobre e honrado), fama menor (todos em Shinkyo conhecem sua família), dominado menor (segue os princípios dos samurais e serve exclusivamente ao império).
  • Jaken (Alesi): hanyô wu-jen; um ex-servo de Sesshomaru, um youkai extremamente poderoso que foi selado no passado por um sentai heroico. Hoje vive como um servo do clã Kazekatta, sendo reconhecido pelo seu grande poder mágico, mas é tratado com severidade por sua sempre constante covardia. Defeitos: segredo menor (servo de Sesshomaru), ismo menor (criatura estranha), dominado (serve a outro mestre).
  • Zenzin (Bulba): halfling clérigo; trata-se de um expedicionário e clérigo de Nimb especializado em conhecimentos sobre a Tormenta. Possui um golem que pilota chamado Guren Mark III, construído usando peças de tecnologia tamuraniana perdida. Está em busca de entender melhor a Tormenta, encontrando em Tamu-ra o lugar ideal para isso, mesmo que tenha que tolerar o preconceito que recebe por ser um estrangeiro. Defeitos: ismo maior (gaijin), fama menor (especialista na Tormenta e “doido”).

Abaixo seguem os relatos do primeiro arco do jogo, envolvendo as quatro primeiras sessões. Sempre que uma personagem for citada pela primeira vez, seu nome estará em negrito e seguido de um parênteses relacionando-a ao seu jogador ou se é uma personagem do narrador (PdN).

PRIMEIRO ARCO: AS RUÍNAS BAKEMONO
Ataque Bakemono (1ª Sessão)
Takkar Kazekatta
O jovem Takkar (Joka) é o atual mestre do clã Kazekatta, o único clã nobre nezumi da história de Tamu-ra. Ele estava aprendendo em Mesu’Dera sobre os costumes e conhecimentos dos samurais quando o próprio imperador-garoto, Tekametsu (PdN), interrompeu a aula para lhe dar uma missão. Takkar então seguiu até a área portuária da nova capital, Shinkyo, a fim de contratar Zenzin (Bulba), um halfling gaijin especializado na Tormenta, conforme as ordens de seu imperador. Ambos, juntamente com o covarde, mas igualmente poderoso, Jaken (Alesi), servo do clã Kazekatta, seguiram então para se encontrar com Lampejo Azul (PdN), um nobre mashin shugenja, e sua filha adotiva, Keiko Aoi (PdN), uma gaijin samurai ainda em treinamento. Juntos, eles seguiram para o norte na direção da vila de Iwa, onde deveriam encontrar um emissário divino do próprio Lin-Wu, e de lá iniciar sua verdadeira missão.

Enquanto isso, em Sora, Lin-Wu permitiu que o deus menor D. Yato (Leish) fosse reencarnado em Arton a fim de ajudar na reconstrução de Tamu-ra. Para isso, ele se encontrou com shinigami Kaze (Aldo), que abriu uma passagem entre os dois planos usando um dos caminhos que as almas dos mortos entram em Sora. Contudo, durante o processo, uma entidade tenebrosa e desconhecida atacou Yato, ferindo sua essência divina e o fazendo cair em Arton inconsciente. Ao acordar, ele descobriu que fora resgatado pelo chefe da vila de Iwa, mas estava sem memórias de quem era. Ele então resolveu ficar na vila até se recuperar por completo, ajudando os seus moradores com as atividades locais. Porém, durante uma noite, a vila foi atacada por um bando enfurecido de bakemono, fazendo Yato entrar em ação para proteger as pessoas que lhe deram abrigo. Por sorte, Takkar e seu grupo chegou a tempo de ajudar, coordenando um contra-ataque as forças monstruosas.

Entretanto, ao longe, uma figura misteriosa observava a tudo.

Sentai Imperial (2ª Sessão)
Jaken
A figura que os observava era uma oni. Ao perceber que o ataque estava fadado a falhar, a misteriosa inimiga ordenou o recuo dos bakemono sobreviventes. O grupo da capital, então, resolveu se separar: Takkar, Jaken e Zenzin uniram forças com Yato para defender a vila dos ogros remanescentes enquanto Lampejo Azul e sua filha Keiko foram ao encalço da fugitiva. Após uma luta exaustiva, o sentai recém-formado conseguiu a vitória, principalmente com a ajuda do shinigami Kaze que conseguiu descer ao plano mortal. Preocupados com a demora de Lampejo Azul, o grupo seguiu seus rastros para encontrar o mashin gravemente ferido e sua filha morta diante de uma pequena tropa bakemono liderada pela oni, que por algum motivo decidiu recuar, deixando os heróis para trás. Diante desta tragédia, Kaze ainda tentou ajudar o espírito vingativo de Keiko a seguir em paz para o Sora, mas sem sucesso.

Após descansarem em Iwa, o grupo resolveu partir para Shinkyo pela manhã. A viagem até a capital foi tranquila e o grupo foi recebido pelo Imperador, que os nomeou um sentai imperial, onde sua primeira missão era seguir até as ruínas encontradas a leste da capital e investigar o local. Após uma semana de viagem, o sentai chegou aos pés de uma enorme cachoeira que abriga as ruínas. Lá eles se apresentaram ao comandante Karyuu Yamamoto (PdN), o ryuujin samurai líder das tropas imperiais estacionadas nas ruínas. O comandante explicou que muitos bakemono foram encontrados nas proximidades e que existe a suspeita que um clã ninja possa os está ajudando.

Com um mapa do local, o grupo então adentrou as ruínas das quais ninguém jamais voltou com vida. A exploração no primeiro dia foi tranquila, principalmente com a ajuda do mapa que obtiveram do local. No segundo dia, o sentai passou a explorar território desconhecido, tendo acidentalmente encontrado uma vila de terríveis kaijin. Em menor número e diante de inimigos poderosos, o grupo se viu forçado a fugir, despistando por pouco seus perseguidores. Contudo, a fuga alucinada teve seu lucro: eles finalmente chegaram a uma enorme gruta onde um verdadeiro exército bakemono estava estacionado.

Batalha contra os Kaijin (3ª Sessão)
Kakuso
O sentai passou alguns minutos observando o acampamento de sua posição privilegiada e percebeu que os bakemono estavam sendo treinados militarmente por alguns tengu e um vampiro chamado Totsuzen (PdN), sendo este aparentemente o comandante do exército. Foi então que um kaijin apareceu sozinho e seguiu até o vampiro, onde Yato resolveu se aproximar furtivamente para descobrir o que estava acontecendo. Ele ouviu que a vila dos kaijin e os bakemono tinham uma espécie de aliança, e que o líder dos kaijin, chamado Kakuso (PdN), havia mandando seu emissário para pegar o “tributo” e alertar Totsuzen sobre os invasores que haviam aparecido.

Os vilões seguiram então para uma tenda no meio do acampamento, a qual Yato preferiu não arriscar se aproximar. Contudo, de onde estava, Kaze conseguiu sentir um enorme fluxo de emoção espiritual emanando dela, deixando o sentai em alerta. Após alguns minutos, o kaijin saiu puxando cinco prisioneiros numa corrente e partiu do acampamento. O sentai decidiu segui-lo, emboscando-o e o matando. Traumatizados, os prisioneiros a princípio não confiaram no sentai, mas agradeceram após saírem das ruínas e serem cuidados pelas forças estacionadas do lado de fora.

Ao ouvir sobre o que houve, o capitão dos samurais imperiais, Karyuu Yamamoto, deu o resto do dia de descanso para as personagens e as reuniu no dia seguinte para traçarem um plano de ação. Ficou então decidido que vinte e cinco soldados entrariam com o sentai nas ruínas e destruiriam primeiro a vila dos kaijin. Após dois dias de uma caminhada longa e lenta, eles finalmente chegaram à vila. Contudo, os kaijin prepararam uma emboscada, já esperando o ataque. Além disso, Kakuso fez sua aparição, demonstrando ser uma terrível criatura da Tormenta. Após uma batalha longa e mortal, o sentai saiu vitorioso e conseguiu matar todos os kaijin, mas ao custo da vida de dezesseis dos samurais que os seguiram.

Akaguntai (4ª Sessão)
Harada
Após a terrível batalha na vila kaijin, o sentai finalmente começou a entender o que houve. Eis então que o espírito de Kakuso surgiu diante do grupo, alegando que voltaria ainda mais poderoso após ser revivido por Igasehra, o lorde da Tormenta que destruiu Tamu-ra no passado. Kaze, usando seus poderes de shinigami, absorveu a alma do demônio a fim de purificá-la e a aprisionar, mas teve que sobreviver a uma luta mortal pela sua alma no processo.

Com este assunto resolvido, o sentai se voltou para os samurais que haviam perecido em combate, sendo surpreendidos com a total ausência de espíritos. A surpresa foi tal que eles mal perceberam que uma sombra misteriosa rastejou para fora do local. Ao ser perseguida e encurralada por Yato, a sombra se revelou como sendo Akumo (PdN), um elemental de trevas a serviço da criatura que feriu a divindade em seu retorno a Arton. Akumo tentou fugir, mas foi morto impiedosamente.

Após retornar para a vila kaijin e se reunir com os samurais remanescentes, o sentai resolveu sair das ruínas e pensar em como lidar com os bakemono após se recuperar. Porém, eles foram cercados pelo exército do vampiro Totsuzen no caminho, que ordenou que se rendessem. Ignorando as demandas do vilão, o sentai iniciou um ataque rápido e feroz que destruiu cerca de um quarto da força inimiga e pulverizou o vampiro. Diante de tamanha força, os bakemono restantes debandaram em pânico.

Fora das ruínas, o grupo se reuniu com os poucos samurais e shugenja que ficaram aguardando o retorno de seu capitão, sendo devidamente tratados. Mas, ao cair da noite, eles foram novamente atacados, agora por uma tropa bakemono liderada pela oni Harada (PdN), a mesma que tentou destruir a vila de Iwa na última semana (1ª Sessão). Percebendo os ferimentos dos inimigos, Harada perdeu o interesse numa batalha em larga escala e demandou um duelo, que foi aceito por Kaze. Após uma luta feroz, Kaze saiu vitorioso. Cumprindo com o acordado, Harada mandou suas tropas recuarem, enquanto ela permaneceu como prisioneira das forças imperiais.

Nesta hora, após a retirada dos bakemono, que o vanara Saru (PdN) e a wu-jen humana Mei (PdN) apareceram. Ao que parece, um hanyô conhecido como Setsuna havia fugido com conhecimentos proibidos e estava planejando algo sinistro e potencialmente destrutivo contra Tamu-ra, cabendo aos heróis impedi-lo.

* * * * *

E nossa aventura hoje termina por aqui. Nos vemos no próximo episódio!
Até and Bye...

0 comentários:

Postar um comentário